O que te limita?

Você já se fez essa pergunta hoje? O que te limita, o que te impede de ir além?

A grande maioria das nossas limitações são auto impostas, você sabia? Acreditamos, seja por nós mesmos, por experiências passadas, por crenças limitantes, por um sistema familiar, que não vamos conseguir realizar algo, e passamos uma vida inteira sem tentar. A pergunta a se fazer é: o que te limita? O que impede de tentar o novo, de colocar metas mais ousadas, de mudar a rota, se for o caso? Se questionar é o primeiro passo para a mudança.

Toda transformação começa dentro, no modo de pensar e sentir o mundo. Aquilo que acreditamos, assim é. Ou seja, se temos por princípio de que não podemos tentar algo diferente, se o conhecido nos parece mais seguro, tudo que for diferente realmente nos trará riscos. A mente está sempre tentando confirmar suas teorias, por mais irreais que elas sejam.

O contrário também é real, não há limites

Da mesma forma, se você acredita que pode tudo, certamente atrairá situações para comprovar essa tese! OU seja, você realmente vai conseguir o que deseja. Essa é a resposta para tanta diferença de atitudes, vida e resultados no mundo. Aquilo que cremos se torna a nossa realidade. E, claro, não podemos esquecer que nascemos sob um sistema de crenças familiar, ou seja, quando nascemos sem poder tudo, essa certamente era a crença de nossos antepassados.

A boa notícia é que há sempre um ponto de ruptura. Você pode ter chegado exatamente para mudar a curva dessa estrada e fazer diferente daqui para a frente. Não só para você, mas para todos que virão depois. E como fazer isso? Como saber se é ou não verdade aquilo que pensamos? Se questione! O que te limita é real? O que efetivamente te impede de tentar algo diferente? Questione seus motivos, veja se eles realmente procedem ou se são apenas desculpa para aprovar sua própria auto sabotagem. E lembre-se: tudo é possível, até que você mesmo duvide!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *