Exercite sua criança interior!

Exercite sua criança interior, permita que a alegria faça parte do seu dia a dia. Ser feliz não custa nada. Quer dizer, custa sim, seu tempo e sua vontade de trocar a chave do vitimismo e do imediatismo e sair da energia de derrota para a de alegria. Ser alegre é uma questão de escolha!

Exercite sua criança interior! Mas, Frésia, como assim? E eu te retorno a pergunta: o que faz seus olhos brilharem e seu coração bater mais rápido? É disso que estamos falamos. Então eu devo largar tudo e ir viver de brisa, fazer só o que gosto e ser feliz? Lógico que não. Mas inserir pequenas doses do que te faz bem no seu dia a dia pode ser um bom começo para ter uma vida mais conectada com sua essência e, portanto, feliz. Para isso, é preciso, obviamente, se conhecer, entender se existem bloqueios que te impedem de viver essa verdade, essa sua melhor versão.

O trabalho de buscar fatos, memórias e crenças que funcionam, muitas vezes, como barreira para a nossa alegria, é fundamental. Quando descobrimos o que realmente desejamos e por que não conseguimos atingir nossos objetivos, o caminho se torna mais fácil, há chances maiores de encontrar as saídas. Já atendemos muitos pacientes aqui que não sabiam explicar situações repetidas em suas vidas, tristezas que os acompanhavam há tempos, princípio de depressão e crises de insônia, ansiedade, fatores que simplesmente direcionavam suas vidas e os tornavam, na maior parte do tempo, infelizes.

Claro que existe aí uma abordagem terapêutica, encontrar o que realmente incomoda e realizar tratamentos integrativos que possibilitem limpar essas causas, para, então, tomar decisões mais acertadas. Mas existe uma receita básica para tornar a vida mais leve, e ela é, simplesmente: seja alegre, exercite sua criança interior, faça mais do que te faz feliz. O que faz seus olhos brilharem e seu coração bater mais forte. Algumas sugestões, caso não consiga “sair da caixa” neste momento:

1. Ande mais de pés descalços;
2. Tome chuva. Por que não?
3. Quando foi a última vez em que você se deliciou com um sorvete?
4. Verifique já se há horários vagos na sua agenda. E não vale finais de semana.
5. Mas não esqueça dos finais de semana. Foque neles. Como é sua rotina quando não está trabalhando? Você preenche todos os espaços com atividades, também?
6. Quando da sua rotina é flexível?
7. Em alguns momentos você pensa: “isso é coisa de criança”? Ou “isso não é coisa de adulto”? Quando?

Veja bem, ninguém está mandando ser inconsequente. Mas talvez você esteja sendo adulto/racional demais, 100% do tempo, e aí a vida fica mesmo com ares muitos carrancudos, sem espaço para a alegria, para o imprevisível, e o estresse adora esse ambiente sem espaço para o lazer, para os sorrisos e para o que não está na agenda! E estresse adoece, tristeza adoece, agenda cheia demais, também. Seja você um adulto ou uma criança.

Exercitar a criança interior é ver leveza na vida, experienciar mais, se permitir ver o mundo com olhos de novidades, sem achar tudo chato, rotineiro e vazio. E isso não é mais uma tarefa, não tem que ser pesado, sofrido. Então, para cada pessoa vai funcionar de um jeito. Talvez seja uma mudança na hora de acordar, na sua rotina produtiva, na forma de fazer as refeições. Talvez trocar um café por um Sunday, de vez em quando. Vai depender somente daquilo que vai te trazer borboletas no estômago de novo, e te fazer sorrir.

Experimente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.