Por que o apego pode prejudicar sua saúde

Tem gente que é apegada a tudo, inclusive a suas dores crônicas, como se elas fossem algo que faz realmente parte delas. E isso não é verdade! Libertar-se presume desapego, de crenças, de coisas e de situações que impedem nossa felicidade. E desapego é sempre uma questão de treino.

Você sabe por que o apego pode prejudicar sua saúde? Vamos falar sobre apego – você pode pensar que ele se refere apenas a coisas materiais. Apego a objetos, ao dinheiro, a pessoas. Mas o apego vai muito além disso, pessoas apegadas podem atrelar suas vidas a crenças e até mesmo a dores crônicas, como se não pudessem viver sem elas, como se fossem características suas, que tornam a vida conhecida e segura, mesmo que dolorosa. Mas, por que será que isso acontece.

Bom, primeiro vou responder. O apego pode prejudicar nossa saúde por dois motivos básicos:

1. Ele não nos permite buscar tratamentos e estratégias, rotinas, que melhorem nossa saúde e nossa qualidade de vida. Nos tornamos a doença, somos apegados a ela. Como quem sofre de insônia e simplesmente admite que é assim e ponto final.

2. Ele torna nossa mente e energia fechados, ou seja, nos enfraquece e nos impede de buscar aquilo que é realmente nosso. Por apego, podemos viver uma vida inteira as vontades e desejos de outras pessoas, e desperdiçar todos os nossos potenciais. Treina a si mesmo deixar partir tudo que teme perder. Isso parece terrível de se imaginar? Pode ser o apego dirigindo as suas vontades. A grande verdade do mundo é a impermanência e, para algumas pessoas, essa qualidade pode ser uma grande sombra pairando sobre sua tomada de decisão. Como viver sem isso ou aquilo ou ainda sem fulano. Acredite, podemos viver sem praticamente tudo. Talvez só não possamos viver sem luz, água e alimento. Todo o resto muda o tempo todo. Aceitar a mudança como parte da vida e o inesperado e desconhecido como aliados, que nos trazem novas experiências, pode ser o começo de um caminho de cura.

Quando o apego prejudica nossa saúde

Eu TENHO insônia. Eu TENHO Enxaqueca. Eu SOU medroso, inquieto, ansioso, agressivo, disperso e sei lá mais quantos adjetivos aqui podemos listar. Será? Será que você É mesmo dessa forma, ou ESTÁ assim por questões vividas no passado e que deixaram marcas, crenças que foram construídas e que dirigem seus pensamentos e decisões, de forma inconsciente?

Como saber? Investigando a si mesmo. Por isso eu sou adepta do tratamento com foco na saúde integrativa. Não somos uma só coisa, não somos uma só dor, uma só doença. Talvez nem sejamos essas dores e doenças que nos acompanham.

Somos, na verdade, um emaranhado de pensamentos, memórias e vivências que acabam formando uma cultura pessoal, que pode ou não ser autêntica. E há como descobrir e mais, há como limpar registros que não são nossos, ou que não desejamos mais, e começar a viver pelas nossas próprias vontades, tratando aquilo que não desejamos, reprogramando nossas crenças. Mas é preciso, primeiro, desapegar. Entender que existem verdades não tão verdadeiras assim. Aceitar o novo, o diferente e a dúvida é uma questão de saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *