Contribuir com o mundo pode ser a chave do equilíbrio emocional

Sabe quando a gente vê o problema do outro e acaba entendendo que a nossa situação pode não ser tão ruim assim? A chave do equilíbrio emocional pode vir desse olhar amoroso para o outro e da oferta dos seus talentos para ajudar o mundo a ser melhor.

Uma coisa é certa: quanto mais olhamos para nossos problemas, maiores eles parecem. Ninguém está dizendo, com isso, que é preciso abrir mão do autocuidado e da observação do que nos acontece todos os dias. Pelo contrário, a ideia é ampliar essa visão e entender de que forma você pode usar seus talentos para contribuir com o mundo e ajudar a resolver, também, questões que não são suas, mas que precisam exatamente do conhecimento que você tem.

Ajudar pode ser uma das melhores formas de cura que existem. Junto com o tratamento certo para cada dor e doença, aprender a se doar promove bem-estar físico e mental e aumenta nossa rede de compartilhamento energético. Sabe quando você age com o coração e alguém lhe fica grato? Então, é dessa energia que estamos falando, uma forma poderosa de cura chamada gratidão. Quando somos gratos pelas oportunidades de ajudar, recebemos em troca a gratidão de quem recebeu o auxílio, construindo uma verdadeira teia de pensamentos benéficos.

Aquele tempo que você tem ocioso e durante o qual acaba sempre pensando demais em seus próprios problemas? Pois doe esse tempo para ajudar alguém! Adquira conhecimento, aprimore seus talentos, todos nós temos algo a contribuir, encontre a sua forma única de ser e a oferte! Mas não empreenda essa ajuda apenas para ter retorno. Nossa motivação é o que faz com que a energia circule. Então ajuda pelo seu próprio bem-estar, contribua para se sentir útil e necessário e o que virá em troca será sempre uma surpresa e um presente.

Mas, e a saúde emocional?

Conhecer pessoas, encontrar situações semelhantes ou totalmente contrárias às suas, entender histórias de vida, tudo isso faz de nós seres humanos melhores e mais aptos a ser e fazer felizes. Por essas razões, o intercâmbio, por exemplo, é tão rico. Vivendo como um estrangeiro em um lugar desconhecido, temos que abrir mão das nossas verdades e observar mais para aprender. Essa postura de “estudante”,independentemente da idade, é que nos faz jovens para sempre.

Quando nos fechamos em nosso mundo interior, muitas vezes nos vemos perdidos em sentimentos como angústia, estresse, solidão, nos entregamos a estados depressivos e deixamos de perceber as saídas. O foco está no problema. A cura está na amplitude do olhar: volte-se para fora! Entenda que há muito mais do que apenas aquilo que você está vivendo no momento. Perceba que sua ajuda e contribuição podem fazer com que tudo seja mais fácil e que novas formas de lidar com o dia a dia apareçam para fazer a vida mais feliz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *