Como lidar com o excesso de informações do mundo atual

Vivemos no mundo da agilidade online e da super exposição a todo tipo de informação. Você já pensou no quanto isso pode ser prejudicial ou não vive sem estar em constante estado de conexão virtual?

Talvez esse texto não seja considerado um conteúdo clínico, mas acreditamos que ele seja extremamente esclarecedor: o excesso de informação também nos adoece. Vivemos no mundo da agilidade online e da super exposição a todo tipo de informação. Você já pensou no quanto isso pode ser prejudicial ou não vive sem estar em constante estado de conexão virtual?

Existe um conceito que já está sendo amplamente difundido, o FOMO, que é a sigla de Fear of Missing Out, ou seja, “medo de estar por fora” do que acontece nas redes sociais. Essa ansiedade, que é o oposto de usar as redes para o que elas de fato deveriam servir: uma ferramenta de comunicação e de informação, acaba provocando estresse e doenças, que podem ir de uma simples dor de cabeça até a depressão.

Entender para que serve o conhecimento e até que ponto precisamos mesmo estar a par de tudo é super importante para avaliar a necessidade daquilo que consumimos. Afinal de contas, vale lembrar que o que não fica registrado na memória consciente vai pro inconsciente e pra memória celular do nosso corpo, dependendo do impacto causado e da intensidade da emoção gerada.

Estar alerta e criar nossos próprios limites nos ajuda a ser mais conscientes e saudáveis. De nada vale estar a par de tudo se não conseguimos dar conta de tantos eventos, séries na tevê, filmes no cinema, mudança de status das celebridades. E de que tanta informação nos adianta mesmo? Fazer essa avaliação e uma faxina mental é extremamente saudável. E sempre vale trocar as redes sociais, ao menos uma boa parte do tempo que temos dedicado a elas, por um bom livro e por cultivar relações reais, não é mesmo?

Sergio Bastos Jr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *